Segunda-feira, 14 de outubro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Política

Parlamentares goianos têm 119 faltas na Câmara

Postado em: 24-06-2019 às 06h00
Os dados foram apurados pela reportagem no dia 21 deste mês junto ao Portal da Transparência da Câmara dos Deputados

Dayrel Godinho

Especial para O Hoje

Iniciando a legislatura 2019 à 2022, os 17 parlamentares goianos que representam o Estado de Goiás no Congresso Nacional apresentaram 472 propostas legislativas e também somam 119 faltas no Plenário da Casa, sendo que 28 não foram justificadas.

Os dados foram apurados pela reportagem no dia 21 deste mês junto ao Portal da Transparência da Câmara dos Deputados. Até aquela data, havia 69 registros de presença na Casa, sendo que quatro parlamentares goianos estiveram em todas: Dr. Zacharias Calil (DEM), Professor Alcides (PP), Adriano do Baldy (PP) e Elias Vaz (PSB). 

O mais faltoso é João Campos (PRB), com apenas 38 presenças, Magda Mofatto (PL) e Major Vitor Hugo (PSL), ambos com 55 presenças. Magda, no entanto, é quem menos justificou sua ausência. Ela não compareceu em 11. Na sequência, com 31, está o deputado republicano, no entanto, ele não-justificou cinco, assim como Alcides Rodrigues (Patriotas). O republicano, que passou por procedimentos médicos tem 26 ausências justificadas. 

Comissões

Todos os deputados goianos participam de ao menos uma Comissão Permanente da Casa, e participam de outras subcomissões, convocadas para demais assuntos, como a queda da barragem de Brumadinho e da Reforma da Previdência.

Todos possuem ao menos uma falta nas comissões das quais eles participam. O menos faltoso é Francisco Jr. (PSD), que tem apenas cinco ausências, sendo que três delas foram justificadas. 

Nas reuniões das comissões, que também são contabilizadas as presenças, o mais faltoso é também é João Campos. Ele tem 36 ausências em sessões das comissões das quais ele é integra, porém 25 foram justificadas.  Na sequência, entre os mais faltosos, sem justificar as suas ausências, estão: José Nelto (Podemos), Célio Silveira (PSDB) e Rubens Otoni (PT) que têm 23, 19 e 18 faltas, respectivamente. 

Apesar do grande papel que os goianos têm na Casa, nenhuma das 14 comissões permanentes têm um presidente goiano. Entre os 17 representantes, há dois 1o vice-presidentes: na Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência (CDDPD), que temGlaustin da Fokus (PSC) e naComissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público (CTASP) quetem Flávia Moraes (PDT) como a representante goiana.

Também há outros dois deputados goianos na terceira vice-presidência. José Nelto, que está na Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU) eJose Mario Schreiner (DEM) na Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR).

Subcomissões

Além das 14 comissões permanentes, os goianos se dividem em comissões especiais e CPIs, que somam 197 nesta legislatura, além de outras subcomissões, grupos de trabalho e comissões externas. Entre as principais, está a da Reforma da Previdência, que tem Lucas Vergílio como representante, que é uma comissão especial. 

O goianos que mais participa destas reuniões é o Professor Alcides (PP), que está em sete destas subcomissões. Elias Vaz está em cinco, Flávia Morais e Francisco Jr estão em quatro. 

 Goianos exercem papel de liderança na Casa 

Os deputados goianos exercem bastante infuência a nível federal.Sendo que, só no governo de Jair Bolsonaro (PSL), foidelegado a dois representantes do Estado dois das principais funções para representantes de Goiás que são do partido do presidente. Major Vitor Hugo e Delegado Waldir são os líderes do Governo e do PSL, respectivamente, na Casa. 

O vice-líder do governo também é goiano. O deputado Lucas Vergílio (SD) está nesta função desde abril. 

Com outros papeis, porém demonstrando a força do Estado, dez goianos exercem o papel de vice-líder em algum bloco ou partido. Entre eles os três citados acima. 

Fora os líderes do PSL, o único guia goiano que guia um partido é José Nelto, que é líder do Podemos. Como vice, existem quatro representantes goianos: Francisco Jr. (PSD), João Campos (PRB), Elias Vaz (PSB) e Zé Mario (DEM) exercem a função de vice-líder de seus respectivos partidos. Já como líderes de Blocos formados na Casa, estão o próprio Zé Mário, que foi vice-líder do de um bloco formado pelo PSL e outros nove partidos. 

Ainda exercendo esta função de liderança, estão Zacharias Calil (DEM), que é vice-líder do bloco: PL, PP, PSD, MDB, DEM, PTB, PMN, Professor Alcides (PP), que é vice-líder do bloco formado por PP, MDB, PTB. Flávia Moraes (PDT) é vice-líder PDT e Avante. E José Nelto também já assumiu, em uma ocasião, o papel de vice-líder do bloco Bloco PDT, PODE, PROS, AVANTE, PV.

 Parlamentares apresentaram 472 propostas de fevereiro a junho 

Os goianos já apresentaram 472 propostas legislativas em 2019. Entre eles estão requerimentos, projetos de lei e projetos de emenda à Constituição (PEC) e 60 propostas relatadas por um dos 17 representantes de Goiás. Eles também fizeram discursos na Câmara Federal em 252 oportunidades, sendo que 172 delas foram durante sessões na Casa.

Alcides Rodrigues (Patriotas), apesar de ter poucas faltas, apenas seis, sendo cinco não justificadas, é o goiano que tem menos propostas apresentadas na Casa e também só teve um discurso contabilizado pelo Portal da Transparência da Casa. 

Os representantes goianos que menos enviaram projetos foram: Alcides Rodrigues (Patriotas), Professor Alcides (PP) e Adriano do Baldy (PP), com dois, quatro e sete propostas apresentadas na Casa. Eles também não contabilizam nenhuma proposta relatada em nenhuma comissão. Outros sete deputados estão na mesma situação, com zero relatos.

Entre os parlamentares que têm mais propostas na Casa são: Rubens Otoni (PT), Flávia Morais (PDT) e José Nelto (Podemos). Eles têm 77, 69 e 63 propostas enviadas para a Casa. Flávia aparece novamente, com 20 propostas relatadas, e é seguida por Lucas Vergílio (SD), com 15. 

Liderança

Destoando dos demais, o deputado José Nelto é quem mais teve seus discursos registrados pela Câmara até junho. Por ser o líder do Podemos, é ele quem indica quem vai utilizar a Tribuna nas sessões, de acordo com a regra da proporcionalidade. Ele também é responsável por falar pelo seu partido, e pelo Bloco que representou em algumas ocasiões. O deputado já fez 78 discursos na Casa, sendo que 72 deles foram em sessões da Câmara.

Outro líder de partido na Casa, Major Vitor Hugo (PSL) também utilizou este recurso para ser o segundo que mais teve registrado os seus discursos, segundo o Portal da Transparência. Ele tem 24 discursos em sessões, e outros dez em reuniões da única comissão da qual o parlamentar é titular: a Comissão de Finanças e Tributação (CFT).

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar