Segunda-feira, 24 de junho de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Política

Presidente da Alego busca duodécimo para concluir sede

Postado em: 19-05-2019 as 20h15
Rubens Salomão

Iniciada em 2005, a obra da nova sede da Assembleia Legislativa de Goiás foi retomada em fevereiro por ordem de serviço assinada pelo atual presidente, Lissauer Vieira (PSB), depois de distrato e nova licitação, realizados pelo ex-presidente José Vitti (PSDB). A conclusão do prédio, no entanto, depende da disponibilidade financeira do governo estadual, já que o duodécimo constitucional do legislativo não é cumprido em Goiás. Na prática, o executivo paga as contas, mas não repassa o percentual de “não menos do que 5% da receita tributária líquida”, como define o artigo 110 da Constituição Estadual. A receita total prevista para 2019 em Goiás é de R$ 26 bilhões. “O que nós estamos fazendo é uma conversa como Executivo, por meio da secretária de Economia (Cristiane Schmidt) e com os técnicos do executivo e aqui da Casa. Já mostramos que realmente o duodécimo é devido, eles sabem disso, e isso incorre na Lei de Responsabilidade Fiscal. Não queremos apertar o governo, mas que cheguemos ao fim do ano com tudo pago integralmente”.

Obra na pauta

Lissauer Vieira garante que, se o recurso constitucional for mesmo pago em sua totalidade a partir de agora pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), a obra na nova sede, no Park Lozandes, “será entregue em tempo recorde”.

Medidas

“Se o governo nos repassar, posso garantir que colocamos aquela obra pra trabalhar 24 horas por dia e terminamos entre 24 ou no máximo 30 meses”, define o presidente. Ele também busca o recurso para “modernizar” a Alego.

Major nega manobra

O líder do Governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO), adefiniu ontem que, após conversa com o relator da reforma da Previdência na Comissão Especial, Samuel Moreira (PSDB-MG), não acredita que um novo texto da reforma da Previdência seja apresentado, o que representaria manobra de parlamentares e nova derrota à gestão política do presidente Jair Bolsonaro (PSL). “Eu conversei com o relator e ele explicou que não haverá uma nova proposta de Previdência. O texto como este é complexo e é natural que se apresente um substitutivo já que qualquer pequena modificação pode obrigar a adaptação de toda proposta. Vamos dialogar para que se mantenha o texto encaminhado pelo governo, a sua essência”, afirmou Vitor Hugo, que ainda luta contra o isolamento entre as principais lideranças no Congresso. O  presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recebeu na residência oficial o relator e o secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, para tratar dos ajustes no texto que vai alterar as regras da aposentadoria no País.

CURTAS

Agenda Está prevista para hoje outra reunião do relator com a equipe econômica do governo, mas, desta vez, no Ministério da Economia, com Paulo Guedes.

Alternativo – O presidente da Comissão Especial que analisa a reforma Marcelo Ramos (PR-AM), diz que o projeto “terá a marca do Parlamento, não a do Executivo”.

Mutirão – Depois do governo estadual, a prestação de serviços nos bairros organizada pela prefeitura deve passar a contar com participação da UFG.

 

Dividir pra conquistar

A base de Iris Rezende em Goiânia ainda não tem pré-candidatos para 2020, enquanto a oposição se mostra, até agora, bastante divida, com nome de Elias Vaz (PSB), Dra. Cristina (PSDB), que deve ir para o PDT, e Francisco Junior (PSD).

Dúvida cruel

Muitos iristas e emedebistas preferem esperar até o dia 5 de agosto do ano que vem para saber se o prefeito buscará ou não a reeleição. É o prazo final para convenções. O diretório do MDB estabelece prazo antecipado, até abril.

Você acredita?

O próprio Iris tem repetido que não será candidato. Por último, disse acreditar que teria “um apoio extraordinário”, se for candidato, mas que não pode “duvidar da sorte” por conta da avançada idade. Terá quase 87 no pleito.

Estamos juntos

A Universidade Federal de Goiás (UFG) receberá moção de apoio aprovada pela Câmara Municipal, depois das manifestações da última semana contra contingenciamentos nas verbas para educação.

Protesto

O pedido foi apresentado pelo vereador Andrey Azeredo (MDB) e aprovado em plenário. Além das verbas, o texto aponta prioridade para a defesa da pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico.

Bichos

Já Zander (Patriota) e Romário Policarpo (PROS) apresentaram projeto para que a própria Câmara crie o “Disque Denúncia de Maus Tratos e Abandono de Animais”. 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar