Quarta-feira, 26 de junho de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Política

Executivo e legislativo discutem segurança nas escolas

Postado em: 19-03-2019 as 06h00
Governador defende integração entre Estado e municípios para garantir qualidade e segurança nas escolas

Raphael Bezerra*

Visando discutir e solucionar a falta de segurança nas escolas municipais e estaduais, os poderes executivos e legislativos de Goiás discutem o problema. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (Democratas), participou de encontro com 40 coordenadores regionais da educação. O objetivo é, frisou o governador, promover uma integração maior entre o ensino e a criança para que ela seja cada vez mais capacitada para chegar ao curso superior ou profissionalizante. Já na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputados defendem audiência pública para debater o tema. 

O governador entende que é impossível garantir uma patrulha em cada escola, seja ela estadual ou municipal, e defendeu um trabalho preventivo e atento de toda a comunidade escolar. “Podemos fazer junto às coordenadoras e junto à Secretaria de Educação do Estado de Goiás a identificação de situações mais críticas, como reincidência de violência, comportamentos estranhos, ou seja, pessoas que são muitas vezes usuários de droga”, elencou. Ronaldo Caiado destacou que dará todo o apoio necessário para que as crianças e jovens estudem num ambiente saudável, mas ponderou que o envolvimento dos pais na educação e orientação dos filhos é indispensável.

Líder do governo na Alego, o deputado estadual Bruno Peixoto (MDB) diz que só a união de forças pode reduzir a violência nas escolas. "Apenas a soma de esforços entre família, professores e policiais pode melhorar esse quadro", afirmou o emedebista. "Temos que sair dessa reunião com sugestões e direções a serem tomadas", concluiu. Ele defende a instauração de uma audiência pública para que o assunto seja pautado com mais evidência e eficiência. 

O coronel Avelar Lopes de Viveiros, policial militar que é coordenador estadual da Educação de Goiânia, disse na audiência pública sobre violência nas escolas que sem a família não se resolve a situação da violência dentro e fora das escolas. "Não adianta mais policiamento ou detector de metais se não houver envolvimento das famílias nos problemas, não existe inclusive uma solução padrão para as mais de mil escolas estaduais, fora as municipais", destacou. 

Segundo Avelar, um guarda ou um PM na porta de uma escola, seja no Colégio Goyazes ou na escola de Suzano, não evitaria nenhuma das duas tragédias. "Muito provavelmente esse guarda seria uma vítima a mais, da mesma forma não adianta armar o professor em sala de aula", apontou.

Na audiência pública sobre violência nas escolas, o superintendente estadual de segurança escolar, coronel Juverson Augusto de Oliveira, diz que o Estado está criando um protocolo de segurança escolar para nortear as ações policiais em todo o Estado de Goiás. "Dos 120 colégios militares do Brasil, 60 estão em Goiás e mais 31 devem ser criados apenas neste ano porque já foram aprovados em lei e esse é um modelo de gestão a ser copiado", afirmou. 

Juverson diz que detector de metais ou mais policiais nas escolas não resolvem o problema da violência. "Aquilo que aconteceu em Goiânia, em Suzano ou em cidades norte-americanas deve voltar a acontecer porque o bullying é só o estopim para esses massacres, muito provavelmente são psicopatas ou pessoas com surtos esquizofrênicos", opinou. 

Governador participa de encontro com coordenadores da educação 

Durante encontro com 40 coordenadores regionais de Educação, o governador Ronaldo Caiado demonstrou mais uma vez seu compromisso com uma Educação transformadora. “Temos que ter a educação como sendo fator único, o Estado podendo ajudar os municípios e os municípios podendo ajudar o Estado. É assim que se educa uma criança”, destacou. Caiado tem proposto aos prefeitos esse trabalho integrado e determinou à sua equipe a elaboração de um projeto de lei que deve ser encaminhado à Assembleia Legislativa para normatizar as parcerias. O objetivo é, frisou o governador, promover uma integração maior entre o ensino e a criança para que ela seja cada vez mais capacitada para chegar ao curso superior ou profissionalizante.

Como forma de melhorar o ambiente de aprendizado, foram entregues ontem (18) 600 carteiras escolares. O lote faz parte de 13,5 mil unidades adquiridas pelo Governo. A entrega simbólica de ontem contou com a presença do governador Ronaldo Caiado, da primeira-dama e presidente de honra da OVG, Gracinha Caiado; e da secretária de Educação, Fátima Gavioli. As carteiras foram entregues a diretores de escolas em Goiânia e em Aparecida de Goiânia. 

“Ninguém consegue nada sozinho nem vai muito longe sozinho, mas quando nós nos juntamos, não tenho dúvida que podemos mudar vidas, histórias e principalmente o futuro desses jovens e crianças de Goiás. Não há outra estrada para a mudança que não seja a educação. Quero firmar uma parceira para o dia a dia do trabalho”, assinalou Gracinha Caiado.

O encontro com os coordenadores regionais foi realizado na manhã desta segunda-feira (18), no Instituto de Educação de Goiás (IEG), espaço que está sendo preparado para abrigar a Secretaria de Estado da Educação (Seduc). A ação significará uma economia de mais de R$ 7 milhões anuais gastos com aluguel e outras despesas do prédio onde hoje funciona a Secretaria. Esse recurso será reinvestido e um dos destinos é a compra de material para uniformes escolares. Nesse sentido, mais uma novidade, a produção será feita nas penitenciárias.

Treinamento

Os coordenadores permanecem em Goiânia por dois dias para um encontro no qual terão acesso ao material elaborado pelos superintendentes, administradores e pedagogos da Seduc. Trata-se do conteúdo estratégico produzido para alcançar as metas estabelecidas para a Educação em 2019, ano em que a Educação Estadual de Goiás será avaliada pela Prova Brasil. “Eu recebi uma missão e quero dar uma resposta à sociedade. A Educação de Goiás precisa e vai avançar em todos os sentidos nos próximos quatro anos”, prometeu a secretária Fátima Gavioli.

Foco na Educação

Na última semana o governador deu mostras de que Educação é tratada com seriedade em seu governo. Ele dirigiu a reunião das entidades que integram o programa Todos Pela Educação: Instituto Ayrton Senna, Banco Itaú, Instituto Unibanco, Instituto Bei, Conselho Nacional de Educação (CNE), Sebrae-Goiás, Unicef e Eduq Mais. O grupo, sob a coordenação da Seduc, vai trazer para Goiás experiências de sucesso já testadas no Brasil e em outros países. 

Durante a entrega de 68 ônibus escolares e a liberação do pagamento de R$ 10,4 milhões para o transporte escolar, também na semana passada, o governador propôs a criação de uma lei que visa levar os avanços da educação, de forma global, para todos os municípios goianos. Em sua avaliação, “não se faz educação sozinho, mas buscando sintonia com os prefeitos”. (* Especial para O Hoje). 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar