Quinta-feira, 09 de abril de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Esporte

Sandro Lima destaca força vindo da família em momento difícil

Postado em: 25-03-2020 às 19h20
Atacante do Gil Vicente, aproveitava bom momento no futebol português antes da paralisação por conta do coronavírus - Foto: Catarina Morais / Kapta +

Victor Pimenta

A Europa é o continente mais afetado por conta da pandemia do coronavírus. Portugal que faz fronteira com a Espanha, o terceiro país com mais casos do Covid-19, tem sofrido também com a proliferação da doença. Já são mais 2.995 infectados, tendo causado quarenta e três óbitos.

Por conta do coronavírus, grande parte dos campeonatos europeus foram paralisados e inclusive o português, onde joga o atacante Sandro Lima, de 29 anos. O brasileiro natural de Belém, jogou no Grêmio Anápolis antes de se destacar nas terras lusas e contou como foi saber da paralisação durante a temporada.

“A mudança foi muito rápida. Nós estávamos nos preparando para a viajar véspera de jogo, quando o diretor nos telefonou para cancelar a viagem. Desde então ficamos em casa e daí não saímos mais”, disse Sandro Lima.

O Gil Vicente, clube o qual Sandro defende, subiu recentemente para a primeira divisão de Portugal após vencer uma batalha na justiça. O atacante também chegou nesta temporada ao clube e é um dos mais importantes da equipe, sendo o artilheiro com treze gols em vinte e oito partidas. Ele comentou como a diretoria tratou o caso.

“A diretoria foi impecável em relação ao que estava acontecendo. O clube está em contato com nós jogadores todos os dias e o departamento médico está atento a respeito da nossa saúde também”, ressaltou o atacante.

Mesmo a milhares de quilômetros longe de casa, Sandro Lima tem mantido contato com seus familiares no Brasil e sempre atualizando e orientando nesse momento difícil.

“Estamos em contato com nossos familiares e estamos mantendo eles informados sobre esse vírus. Mas eles também estão nos dando força, que é o mais importante nesse momento”, falou o brasileiro.

A recomendação não somente dos clubes, mas dos governantes de todos os países é que as pessoas saiam cada vez menos de suas casas, somente por necessidade, para evitar aglomerações e proliferação da doença. O atacante comentou sobre a situação em questão.

“Graças a Deus, aqui os únicos que foram autorizados a ficarem abertos foram o supermercado e farmácia e em relação a isso estamos tranquilos. Mas é uma situação muito triste tudo isso que está acontecendo”, concluiu o jogador do Gil Vicente.  

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar