Quarta-feira, 21 de outubro de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Economia

Bolsonaro diz que está aberto a sugestões para recuperação da economia

Postado em: 29-09-2020 às 11h00
Estado de emergência por causa da covid-19 termina em 31 de dezembro - Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (29) que o governo está aberto a sugestões dos líderes partidários para propostas que visem a recuperação da economia e o enfrentamento dos problemas sociais que podem surgir a partir do próximo ano. O estado de emergência em razão da pandemia da covid-19 acaba em 31 de dezembro, assim como o pagamento do auxílio emergencial aos cidadãos mais vulneráveis.

“O meu governo busca se antecipar aos graves problemas sociais que podem surgir em 2021, caso nada se faça para atender a essa massa que tudo, ou quase tudo, perdeu. A responsabilidade fiscal e o respeito ao teto são os trilhos da economia. Estamos abertos a sugestões juntamente com os líderes partidários”, escreveu em publicação nas redes sociais.

Ontem (28), Bolsonaro anunciou o Renda Cidadã, novo programa de transferência de renda do governo, que substituirá o auxílio emergencial e o Bolsa Família, e será financiado com parte dos recursos de pagamento de precatórios e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A proposta foi acordada entre o governo e líderes da base e deverá ser apresentada na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo e na PEC Emergencial, que tratam da desindexação dos gastos públicos.

Por outro lado, o governo ainda não alcançou o entendimento sobre o texto da reforma tributária, que deve tratar sobre a desoneração da folha de pagamento das empresas. Em declarações recentes, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a criação de “tributos alternativos” para compensar a desoneração da folha, que, para ele, é necessária para a criação de empregos e renda para a população.

A primeira parte da proposta de reforma tributária do governo já está em tramitação e trata apenas da unificação de impostos federais e estaduais em um futuro Imposto sobre Valor Agregado (IVA). A segunda parte, sobre a desoneração da folha, ainda depende de um acordo. (Agência Brasil)

1 Comentário

Ednaldo carvalho 30-09-2020 as 11:09h Responder

A sugestão meu filho é cortar as mordomias dos deputados que são muito caras reduzir a quantidade de deputado mas cadê que eles querem fazer isso o cinturão que manda no Brasil não é o presidente não o presidente tem que ter que fazer alguma coisa, a infração tá muito alta o imposto tá muito alto inventar essa nota de r$ 200 que isso é uma enganação para o brasileiro por que não muda para o dólar para inflação cair para gente por que a inflação só tava quando dólar tá alto, não venha falar que se a gente mudar a moeda de se for pegar no Dodge vai ficar recebendo Estados Unidos Isso é uma grande mentira o cinturão e manda no Brasil ele faz o que quer aumentar a inflação aumenta o juro e também aumenta o dinheiro deles tem que a diminuir a quantidade de Deputado que tem aqui no nosso Brasil no Congresso Isso é uma vergonha ...

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar