18 de dezembro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Em Goiânia
04/12/2018 | 17h40
Workshop fala sobre as vantagens da fonte solar fotovoltaica
Perspectiva para o início de 2019 é que o segmento comece com o pé direito, com previsão de aumento de 300%

Foto Divulgação

Da Redação

Fatores como constantes secas, crise de energia no setor elétrico, aumento da conta de luz e a demanda pela diversificação da matriz energética no País fizeram com que o mercado de energia fotovoltaica vivesse um crescimento recorde em 2018. Nesta sexta-feira (7) será realizado o 1º Workshop do Centro-Oeste em Sistemas Fotovoltaicos, a partir das 8 horas, no no Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Goiás (Sinduscon). A perspectiva para o início de 2019 é que o segmento comece com o pé direito, com previsão de aumento de 300%. 

A fonte solar fotovoltaica vive um crescimento considerável no Brasil, com benefícios econômicos, sociais e ambientais cada vez mais importantes. O evento será ministrado pelo gerente regional de certificação de produto da TÜV Rheinland Espanha, Vitor Rodrigues.  O Workshop visa demonstrar uma variedade de conhecimentos técnicos para proteção de investimentos em Sistemas Fotovoltaicos (PV) e serviços em todas as etapas do projeto, desde o desenvolvimento, a qualificação, a inspeção, a certificação e a avaliação de desempenho da planta instalada. 

O país possui uma potência instalada de mais de 1,6 gigawatts (GW), total alcançado por menos de 30 países no mundo. A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) projeta que a fonte deverá representar mais de 10% da matriz elétrica em 2030, enquanto hoje representa menos de 1%. Na geração distribuída solar fotovoltaica, o Brasil acaba de ultrapassar 350 megawatts (MW). São 37 mil sistemas conectados à rede, que trouxeram mais de R$ 2,5 bilhões em novos investimentos desde 2012, proporcionando economia e sustentabilidade ambiental a 44 mil residências, comércios, indústrias, produtores rurais e prédios públicos, como escolas e hospitais.

Segundo mapeamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Brasil está entre os dez países do mundo que mais acrescentaram energia solar na matriz de geração no último ano. E ocupa a 30ª posição no ranking geral das nações com maior potência instalada em energia solar fotovoltaica. O País possui um dos melhores recursos solares do mundo. Enquanto o potencial técnico hidrelétrico nacional é de 170 Gigawatts (GW) e o eólico é de 440 GW, o potencial técnico solar fotovoltaico supera 28.500 GW, sendo maior do que o de todas as demais fontes combinadas.

A título de comparação, dados da Aneel e Absolar revelam que Minas Gerais é responsável por 23,8% da geração distribuída solar fotovoltaica, com potência instalada de 95,8 MW. Goiás ocupa o 10° lugar no ranking nacional, representando 3,2%, com produção de 12,9MW.

“Pressionados pelos custos da energia elétrica, os consumidores buscam opções para enfrentar os pesados aumentos nas tarifas. A geração distribuída solar fotovoltaica se destaca como uma solução competitiva e sustentável: os preços dos sistemas caíram 75% na última década e o tempo de retorno sobre o investimento diminuiu, trazendo reduções de até 90% nas contas de energia elétrica”, afirmou o diretor do INPEG, Rivas Argolo. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)