18 de dezembro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
roubos de veículos
06/12/2018 | 06h00
Detento pedia ‘resgate de veículos’ de dentro da cadeia

Um presidiário chefiava toda uma quadrilha que foi desarticulada nos estados de Goiás, Paraná e no Distrito Federal. A organização criminosa é suspeita de aplicar golpes em vítimas de furtos e roubos de veículo. A operação, que foi nomeada de “Boa na linha” relata que o responsável por comandar as ações, de dentro do presídio de Luziânia, a 209 quilômetros de Goiânia, recebia informações dos veículos roubados e fazia o contato com as vítimas. 

Com mais de 70 policiais civis, 20 mandados judiciais, 12 de prisão temporária e oito de busca e apreensão foram expedidos.  De dentro do presídio, o suspeito ligava para as vítimas e pedia um resgate pelos veículos que estavam em poder dos criminosos, o que dependia do modelo do veículo, com valores para o resgate de R$ 1 mil a R$ 7 mil. As vítimas que depositavam o dinheiro para os criminosos, caiam, então, em um segundo golpe. Perdiam, assim, o carro e o dinheiro do resgate. 

O trio suspeito, de acordo com a Polícia Civil (PC), foi preso em 2005 acusado do mesmo golpe, quando, em posse de veículos oriundos de furtos e roubos, entravam em contato com as vítimas para pedir o resgate desses veículos, gerando maior prejuízo aos que já tiveram seus carros subtraídos.

Um levantamento da Polícia Civil aponta que a organização criminosa aplicava, em média, 10 golpes por semana. As vítimas identificadas na operação são de Goiás, São Paulo e Paraná. Agora a investigação se concentra em identificar os proprietários das contas bancárias cujos resgates em dinheiro eram depositados.

Outros casos

Pelo menos quatro casos envolvendo grupos de presos que comandam o mundo do crime fora das cadeias ganharam repercussão neste ano em Goiás. Usando celulares ou recados, os criminosos influenciam direta e indiretamente o mercado do tráfico no Estado. 

Homicídios e roubos também são comandados pelos presos. Em novembro, um grupo de 18 integrantes foi preso suspeito de participar de uma facção criminosa que cometia os crimes em Goiás. (Thiago Costa) 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)