17 de dezembro de 2018 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Trindade
13/03/2018 | 17h30
Suspeito de matar ex-namorada é morto horas depois do crime
O homem foi morto na Vila Socorro, indo para Abadia de Goiás, o comparsa do crime foi preso. A Policía Civil ainda vai investigar o caso

Yone Gloria da Cunha Novais, 22 anos, que era auxiliar administrativo, foi morta a tiros nesta terça-feira (13) Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu no início da tarde, perto da empresa onde a jovem trabalhava, em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. O principal suspeito do crime é um ex-namorado da vítima, que foi morto pouco depois, um colega dele que também teria participado do crime foi preso.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Vicente Gravina o suspeito foi até o local onde a jovem trabalhava e depois de uma conversa atirou e fugiu, logo depois foi encontrado morto.

"Ele foi morto na Vila Socorro, indo para Abadia de Goiás. O comparsa dele foi preso e vamos interrogá-lo para entender o que ocorreu”, explicou a Polícia Civil.

Irmã de Yone, Patrícia Raiane da Cunha Novaes, de 26 anos, disse não ter dúvida sobre a autoria do crime, pois uma colega de trabalho viu o ex-namorado da vítima no local do crime.

Segundo a jovem, a Yone namorava há três meses e tinha um relacionamento conturbado. Por isso, terminou o namoro no último domingo (11). "O namoro durou três meses, mas com muita turbulência, ele era ciumento, extremamente possessivo", afirmou.

Yone trabalhava na empresa Magnificat, de linhas telefônicas empresariais. Segundo o gerente de Recursos Humanos da companhia, Flávio Ferreira, nenhum funcionário presenciou o crime, mas todos estão consternados.

O Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia buscou o corpo da vítima no local por volta de 16h.

 

Tópicos:  Feminicídio,   Trindade,   Ex namorado

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)