20 de setembro de 2018 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Benefícios
12/03/2018 | 18h00
Vítimas de enchente em Ceres e Rialma vão receber Cheque Mais Moradia
Defesa Civil levantou até o momento um total de 35 famílias em situação de risco em Ceres e três em Rialma. Anúncio foi feito pelo vice-governador José Eliton

As famílias vítimas de enchente nos municípios de Ceres e Rialma, no Vale do São Patrício, receberão o benefício do Cheque Mais Moradia nas modalidades Reforma e Construção. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (12) pelo vice-governador José Eliton, que vistoriou os estragos causados pela chuva na última sexta-feira (09). Até o momento, 35 famílias foram selecionadas para adentrar o programa.

Uma equipe da Agência Goiana de Habitação (Agehab) participou das visitas da Defesa Civil e Prefeitura de quinta-feira (08) a domingo (11).  Em Ceres, são 30 moradores que tiveram danos, como queda de muro ou telhado e sistema elétrico danificado. Estas estão aptas a receberem Cheque Reforma, desde que se enquadrem nas regras do programa e apresentem os documentos necessários. Outras cinco tiveram as moradias interditadas pela Defesa Civil e devem receber Cheque Construção em convênio com a prefeitura.

A Defesa Civil continua o cadastramento das famílias na medida em que recebe os chamados. Em visita aos municípios no domingo (11), os ministros das Cidades, Alexandre Baldy, e da Integração Nacional, Helder Barbalho, também prometeram ajudar na recuperação dos pontos atingidos pela chuva. Em Ceres, as cabeceiras de duas pontes desmoronaram e várias casas foram atingidas.

 Foto: Divulgação

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)