13 de dezembro de 2018 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Estelionato
12/02/2018 | 13h25
Seplanh pede investigação de fraude contra beneficiários do Jardins do Cerrado X
Famílias estariam recebendo boletos falsos para pagamentos de taxas cartoriais no valor de 247 reais. Seplanh alerta para que os beneficiários não realizem o pagamento

A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) registrou, na última sexta-feira (9), um pedido de investigação junto à Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (DERCAP) por prática de suposta fraude/estelionato cometida contra famílias sorteadas para ocupar unidades habitacionais do Jardins do Cerrado 10 - Fase VI, em Goiânia.

De acordo com informações recebidas pela Superintendência de Habitação e Regularização Fundiária da pasta, famílias sorteadas pelo município estão recebendo correspondências, com boleto anexo, informando acerca da necessidade de pagamento de taxa de adesão para contemplação com o imóvel. Documentos apresentados por duas das famílias beneficiadas apresentam alteração de conteúdo e afirmam a necessidade de pagamento de taxa no valor de R$ 247,50, que seria alusiva a gastos de cartórios.

A Seplanh alerta as famílias beneficiadas que não realizem o pagamento da referida taxa, apresentada em boleto do Banco Itaú. Ressalta que todos os trâmites das seleções realizadas pelo Programa Municipal de Habitação de Interesse Social da Prefeitura de Goiânia, inclusive os financeiros, são realizados com ampla divulgação por parte da secretaria no próprio site da Prefeitura de Goiânia e na imprensa local. 

Foto: Divulgação

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)