21 de maio de 2018 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Má Vizinhança
14/01/2018 | 18h45
Quadrilha especializada em roubo a bancos é presa em Luziânia
Mandados de prisão foram expedidos aos investigados por policiais civis do GAB e militares do BOPE. Oito cidades foram vítimas dos criminosos

Após dois meses compartilhando informações com a Polícia Militar e realizando investigações que visavam apurar a explosão de uma agência bancária na cidade de Orizona, no interior do Estado, o Grupo Antirroubo a Bancos (GAB) da Polícia Civil colheu informações de que uma associação criminosa em Luziânia teria praticado não apenas o referente crime, mas também teria explodido duas vezes caixas eletrônicos nas cidades de Luziânia, Damianópolis, Bonfinópolis, Itauera (PI), além dos municípios de Cristópolis, São Desirédio e Ibotirama, na Bahia.

A operação Má Vizinhança foi desencadeada na última sexta-feira (12) e teve como objetivo dar cumprimento a mandados de prisão expedidos aos investigados, que foram cumpridos por policiais civis do GAB e militares do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e Polícia Militar de Luziânia.

Além do líder da associação criminosa Frederico Mariano da Silva, o “Derico”, foram presos Joeliton Ribeiro Pereira, o Neguinho;  Fernando Rocha da Silva, o “Cara Larga”, Erivaldo José Mariano e Luiz Fernando da Silva Mattos.

Durante a operação, os policiais localizaram ainda uma arma de fogo de uso restrito das forças policiais com a numeração raspada e uma caminhonete roubada, que foi restituída a seu proprietário.

A Polícia Civil apurou ainda que os explosivos eram trazidos por Fernando Rocha da Silva do Piauí, sendo este o responsável ainda pelo levantamento dos bancos a serem alvos da quadrilha. Os criminosos já tinham escolhido seu próximo alvo, uma Caixa Econômica Federal situada na cidade de Novo Gama.

O fato que chamou a atenção da polícia foi de que um dos caixas eletrônicos explodidos pela associação criminosa era situado na farmácia em que o preso Erivaldo trabalhava como atendente.

Com a prisão dos cinco investigados, o GAB considera desmantelada toda a associação criminosa, sendo que as investigações sobre cada um dos crimes cometidos serão concluídas nos próximos dias.

Além dos mandados de prisão, os investigados foram autuados por porte de arma de uso restrito, receptação e associação criminosa. 

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)